Frentes parlamentares querem auxílio emergencial para atingidos por enchentes no RS

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – Frentes parlamentares no Congresso Nacional devem levar ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) uma proposta de criação de auxílio emergencial para os atingidos pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

“Além do apoio do governo para recuperar a infraestrutura, precisamos ajudar as pessoas. De imediato, um auxílio emergencial para todas as vítimas, que estão perdendo tudo”, disse o deputado federal Domingos Sávio (PL-MG), vice-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, a maior do Congresso.

O tema foi discutido em reunião do grupo realizada nesta terça-feira (7). “Já estamos sinalizando que queremos que o presidente mande um auxílio emergencial e também um auxílio às empresas nos moldes do que foi feito na pandemia de Covid-19”, continuou.

Para o parlamentar, a aprovação do decreto que retira da meta fiscal os gastos para mitigar os efeitos das enchentes no Rio Grande do Sul deve facilitar a adoção da medida.

Além de levar a proposta para outras frentes, a FPA vai pedir ajuda para o setor no estado. Nesse caso, as demandas serão levadas a diversos ministérios e ao Palácio do Planalto.

Entre as medidas propostas estão a suspensão do pagamento de dívidas de produtores rurais atingidos pelas chuvas e enchentes por 12 meses. Nesse período, a FPA deseja a negociação de uma moratória de pelo menos dez anos para que os empresários rurais gaúchos possam recuperar a estrutura perdida na tragédia.

O Rio Grande do Sul chegou nesta terça à marca de 90 mortes em decorrência das fortes chuvas que atingiram a região ao longo da última semana. Ao todo, 1,4 milhão de pessoas foram afetadas pela tragédia da região.

O número de mortos pode aumentar ainda mais nos próximos dias, pois há um total de 131 desaparecidos, além de 362 feridos. Também há quatro óbitos em investigação.

De acordo com a Defesa Civil, há 48.297 desabrigados, instalados em alojamentos cedidos pelo poder público, e 156.056 desalojados.

Do total de 497 municípios do estado gaúcho, 388 foram afetados pelas fortes chuvas da região.

Entre as medidas que o governo deve adotar para ajudar o estado está a suspensão do pagamento da dívida pelo Rio Grande do Sul. A equipe econômica também avalia a possibilidade de reduzir ou suspender os encargos da dívida (juros), para evitar que o governo estadual retome os pagamentos devendo um valor ainda maior à União.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.