Franceses organizam protesto com ‘cocô coletivo’ no Rio Sena

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Em protesto contra os gastos de 1,4 bilhão de euros (R$ 8,1 bilhões) do governo francês para despoluir o Rio Sena para receber as Olimpíadas, e o nível ainda alto de poluição, os franceses organizam um “cocozaço” no local previsto para este domingo (23), às 12h no horário de Paris (7h no horário de Brasília).

Nas redes sociais, a hashtag ‘eu caguei no Sena em 23 de junho’ (#Jechiedans laseinele23juin) vem mobilizando nos últimos dias o público insatisfeito com o trabalho do presidente francês, Emmanuel Macron, e da prefeita de Paris, Anne Hidalgo.

Em uma pesquisa divulgada em março pelo instituto Ipsos, 47% dos moradores da capital francesa responderam que pretendem fugir da cidade durante o evento, temendo o caos.

A data escolhida para o protesto coincidiria com um mergulho que a prefeita da sede dos Jogos Olímpicos afirmou que faria no Rio Sena, de modo a atestar a qualidade de sua água.

Devido aos níveis de poluição no rio, contudo, a prefeita adiou o mergulho para 15 de julho, a menos de duas semanas do início das Olimpíadas.

Segundo análises publicadas nesta sexta-feira (21), a 35 dias da abertura do evento, o nível de poluição no Rio Sena ultrapassou os limites previstos para a realização de competições de triatlo e maratona aquática.

De acordo com o relatório semanal publicado pela prefeitura de Paris, as más condições meteorológicas dos últimos dias na França explicam o aumento das concentrações de coliformes fecais no rio.

“A qualidade da água continua piorando em consequência das condições hidrológicas e meteorológicas desfavoráveis: chuva, vazão intensa, poucas horas de sol, temperaturas abaixo do normal”, explicaram as autoridades locais.

“Eu caguei no Rio Sena em 23 de junho por Macron, Hidalgo, [Laurent] Nuñez [chefe da Polícia de Paris]. Porque depois de nos colocar na merda, cabe a eles se banhar na nossa merda”, diz o site criado pelos organizadores do protesto escatológico.

O Sena é um dos símbolos dos Jogos Olímpicos de Paris, que esperam deixar como legado a possibilidade de nadar em suas águas. Mas à medida que o evento se aproxima, aumenta a incerteza sobre a possibilidade de organizar os eventos-teste no rio.

As previsões meteorológicas para as próximas duas semanas, no início do verão no hemisfério Norte, também não convidam ao otimismo, com tempo chuvoso até 5 de julho, segundo a agência pública Météo France.

Apesar da incerteza, o plano B dos organizadores não envolve, ao menos até o momento, a mudança do local das provas de triatlo e maratona aquática em caso de fortes chuvas, e sim adiá-las por alguns dias.

Um ensaio geral está marcado para a próxima segunda-feira (24).

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.