quarta-feira, 10 agosto, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

Atlético-GO bate Red Bull Bragantino e quebra série de seis derrotas consecutivas

O Atlético-GO, enfim, desencantou e interrompeu uma série de sete jogos sem vencer, com seis derrotas consecutivas, no Campeonato Brasileiro, ao bater o Red Bull Bragantino por 2 a 1, neste sábado à noite no estádio Antônio Accioly, em Goiânia (GO), pela 21.ª rodada. Apesar da vitória que restabeleceu as pazes com sua torcida e deu força ao técnico Jorginho Campos, o time goiano segue dentro a zona de rebaixamento, com 20 pontos, em 18.º lugar. O Red Bull Bragantino, que vinha em alta, com quatro vitórias em cinco jogos, segue com 30 pontos, em oitavo lugar e fora do G-6, seu maior objetivo.

Agora, o Atlético-GO vai virar a chave nesta semana, quando tem um jogo importante pelas quartas de finais da Copa Sul-Americana. Já na terça-feira, às 19h15, vai receber o Nacional-URU, de Luis Suárez, para tentar confirmar sua vaga nas semifinais. Como venceu no Uruguai por 1 a 0, agora pode até empatar. Se perder por um gol vai decidir a vaga nos pênaltis e só vai ser eliminado se o time uruguaio ganhar por dois gols ou mais de diferença. A expectativa em Goiânia é enorme, tanto que o jogo foi transferido para o estádio Serra Dourada.

O primeiro tempo deste sábado foi bastante movimentado, apesar das poucas chances reais para abrir o placar. Precisando mostrar serviço para sua torcida, o Atlético-GO começou mais efetivo no ataque, tentando achar o caminho do gol. O Red Bull Bragantino, porém, aos poucos equilibrou as ações e passou a chegar com mais força no ataque.

A primeira chance real de gol ficou com o atacante Jan Hurtado, do time paulista. Ele invadiu a área pelo lado direito e bateu por cobertura, tentando encobrir o goleiro. A bola bateu na quina do travessão, aos 36 minutos. A torcida do Dragão só sentiu a emoção de gol aos 45 minutos. Após cruzamento na área, o volante Marlon Freitas apareceu no segundo pau para desviar de cabeça. A bola saiu do lado da trave.

Mas coube ao volante atleticano fazer o primeiro gol no início do segundo tempo. Aos seis minutos ele recebeu a bola na intermediária, ajeitou a bola e soltou uma bomba no alto. O goleiro Cleiton ainda tentou fazer a defesa com a mão trocada, mas a bola tinha sido chutada com muita força, tocou de leve na mão dele e entrou.

O time paulista tentava se arrumar em campo quando sofreu o segundo gol. O lance começou num chute de Wellington Rato que iria para fora, mas Cleiton rebateu para escanteio. Na cobrança alta de Peglow, a defesa se preocupou com o primeiro pau e o argentino Churín apareceu de frente no outro lado para cabecear de cima para baixo: 2 a 0, aos 14 minutos.

Perdido por dois, perdido por mil. E lá se foi o Bragantino tentar diminuir o prejuízo. O desvio de cabeça de Luan Cândido, lateral-esquerdo deslocado para o ataque, exigiu que o goleiro Renan saltasse para espalmar a escanteio com um tapa, aos 25 minutos. Nesta altura, o visitante já tinha mais domínio da bola, mesmo porque o cansaço bateu nas costas dos atleticanos.

Depois de tanto esforço, o Bragantino diminuiu aos 40 minutos. Ramon fez o levantamento para a área, onde Carlos Eduardo subiu com a marcação e a bola sobrou para Luan Cândido. O improvisado centroavante, de frente, completou para as redes.

Os últimos minutos foram tensos, com o time paulista correndo atrás do empate. Não deu certo.

Pelo Brasileirão, o Atlético-GO volta a campo no próximo sábado (13) diante do Botafogo, no Engenhão, às 21h, no Rio de Janeiro. O Red Bull Bragantino vai atuar fora de casa de novo, desta vez diante do São Paulo, domingo (14), às 16h, no Morumbi.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-GO 2 X 1 RED BULL BRAGANTINO

ATLÉTICO-GO – Renan; Dudu, Wanderson, Lucas Gazal e Jefferson (Edson Fernando); Willian Maranhão (Arthur Henrique), Marlon Freitas e Wellington Rato; Airton (Kelvin), Ricardinho (Churín) e Peglow (Rhaldney). Técnico: Jorginho Campos.

RED BULL BRAGANTINO – Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Natan e Luan Cândido; Raul (Ramon), Lucas Evangelista (Eric Ramires) e Praxedes (Sorriso); Artur, Jan Hurtado (Hyoran) e Helinho (Carlos Eduardo). Técnico: Maurício Barbieri.

GOLS – Marlon Freitas, aos 6 e Churín, aos 14 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Marielson Alves Silva (BA)

CARTÕES AMARELOS – Peglow (Atlético-GO). Natan (Red Bull Bragantino).

RENDA – R$ 54.310,00

PÚBLICO – 5.930 torcedores

LOCAL – Estádio Antônio Accioly, em Goiânia (GO).

Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas