Espanha vira contra França e vai à final com golaço e recorde de joia

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – A Espanha é a primeira finalista da edição de 2024 da Eurocopa. Nesta terça-feira (9), os espanhóis venceram a França por 2 a 1, de virada, na Allianz Arena, e agora estão a um passo de se isolarem como os maiores campeões do torneio, com quatro títulos.

Kolo Muani colocou a França na frente no começo do jogo. Yamal, com um golaço, e Dani Olmo viraram o jogo para a Espanha ainda na etapa inicial.

O gol de Yamal significou mais um recorde para o atacante. Jogador mais jovem a disputar a Euro, ele também se tornou o mais novo a marcar um gol no torneio. Ele chega à marca com 16 anos e 362 dias de idade. O feito pertencia a Johann Vonlanthen, suíço que foi às redes com 18 anos e 141 dias, na edição de 2004. Curiosamente, os dois bateram o recorde em jogos contra a França.

Agora, Espanha aguarda o vencedor do confronto entre Inglaterra e Holanda na outra semifinal. A partida entre as seleções será disputada na nesta quarta-feira (10), às 16h (de Brasília), no Signal Iduna Park.

A final da Eurocopa será disputada no próximo domingo (14), às 16h (de Brasília), no Estádio Olímpico de Berlim. Caso vença, a Espanha chegará a quatro títulos e se isolará como a maior campeã da competição —está empatada com a Alemanha, com três.

COMO FOI O JOGO

O começo de jogo teve domínio da Espanha, mas a França foi letal com Mbappé garçom. Ao seu melhor estilo, a seleção espanhola começou o duelo tendo a posse de bola e trocando passes no campo de ataque. Do outro lado, a França optou por deixar as linhas de marcação baixas e apostar em contra-ataques. A estratégia deu certo. Sem máscara pela primeira vez desde a estreia na Euro — quando lesionou o nariz — Mbappé serviu Kolo Muani no lance que colocou os franceses na frente.

A Espanha buscou a virada ainda na etapa inicial, e os papéis se inverteram. O gol francês não abalou os espanhóis, que buscaram a virada com dois lances de brilho individual. Em quatro minutos, Yamal e Dani Olmo deixaram a defesa na saudade duas vezes e colocaram a Fúria na frente. Com o placar contra, a França mudou sua estratégia e passou a subir a marcação, enquanto a Espanha parou de pressionar tanto.

O segundo tempo teve a França se lançando ao ataque, mas acabou morno. Didier Deschamps mexeu na seleção francesa no começo da etapa final e desmontou o meio de campo com três volantes. Preocupada em marcar, a Espanha perdeu a velocidade pelos lados com Nico Williams e Lamine Yamal e foi praticamente inofensiva nos contra-ataques, mas conseguiu esfriar o jogo e gastar o tempo quando teve a bola. Apesar de mais presentes no ataques, os Bleus quase não deram trabalho para o goleiro Unai Simón e viram os espanhóis saírem classificados.

ESPANHA

]Unai Simón; Jesús Navas (Vivian), Nacho Fernández, Laporte e Cucurella; Rodri, Fabián Ruiz e Dani Olmo (Mikel Merino); Yamal (Ferrán Torres), Nico Williams (Zubimendi) e Morata (Oyarzabal). T.: Luis De La Fuente.

FRANÇA

Maignan; Koundé, Upamecano, Saliba e Theo Hernández; Kanté (Griezmann), Tchouaméni e Rabiot (Camavinga); Dembélé (Giroud), Mbappé e Kolo Muani (Barcola). T.: Didier Deschamps

Local: Allianz Arena, em Munique (ALE)

Árbitro: Slavko Vincic (ESL)

Assistentes: Tomaz Klancnik (ESL) and Andraz Kovacic (ESL)

VAR: Nejc Kajtazovic (ESL)

Gols: Kolo Muani (8’/1°T), Yamal (20’/1°T), Dani Olmo (24’/1°T)

Cartões amarelos: Jesús Navas, Yamal (ESP), Tchouaméni, Camavinga (FRA)

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.