Economistas e políticos lamentam morte de Maria da Conceição Tavares

Foto: Fernando Frazão/ABr

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Políticos, economistas, pesquisadores e admiradores lamentaram a morte de Maria da Conceição Tavares nas redes sociais. Considerada um dos principais nomes do pensamento desenvolvimentista no Brasil, a economista faleceu neste sábado (8), aos 94 anos.

No X (antigo Twitter), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou que Maria da Conceição de Almeida Tavares, além de professora, foi deputada federal pelo PT.

“Uma das maiores da nossa história. Nascida em Portugal, adotou o Brasil e nosso povo com o seu coração e paixão pelo debate público e pelas causas populares. Foi uma economista que nunca esqueceu a política e a defesa de um desenvolvimento econômico com justiça social”, disse em publicação neste sábado.

Lula ainda disse que ela formou gerações de economistas na UFRJ, trabalhou no BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e escreveu centenas de artigos e muitos livros.

“Até hoje suas aulas são consultadas pelos jovens em vídeos na internet, pela sua fala sempre franca e direta. Tive o prazer e a honra de conviver e conversar muito com minha amiga ao longo dos anos, debatendo o Brasil e os nossos desafios sociais e econômicos no Instituto Cidadania, em conversas no Rio de Janeiro ou em viagens pelo Brasil. Nesse momento de despedida, meus sentimentos aos familiares, em especial aos filhos, aos muitos amigos, alunos e admiradores de Maria da Conceição Tavares”, disse.

A primeira-dama, Rosângela Silva, mais conhecida como Janja, também fez uma publicação no X agradecendo a economista.

O presidente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Marcio Pochmann, usou as redes para elogiar o legado de Tavares.

“A mestre do desenvolvimento com justiça social que jamais desistiu do Brasil. A professora Maria da Conceição Tavares deixa uma trajetória exemplar de educadora engajada no que de melhor o pensamento crítico gerou no Brasil”, escreveu no X.

Pochmann disse também que a economista ousou diuturnamente enfrentar a ditadura civil-militar, constituindo parte integrante do movimento da democratização do país.

“Foi uma das bases fundamentais da produção teórica-analítica e do ensino formativo de muitos alunos e orientandos, consolidando o pensamento desenvolvimentista latino-americano ancorado na UFRJ e Unicamp”, disse.

O deputado estadual Eduardo Suplicy (PT) afirmou em rede social que Tavares se tornou célebre não só pelo vigor de seu pensamento, mas pela paixão com que defendeu seus pontos de vista.

A morte de Maria da Conceição Tavares também provocou manifestações de famosos como o rapper Emicida e do ex-presidente da Petrobras, Jean Paul Prates.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.