Sergio Vidigal quer prazo maior para incentivo fiscal ao setor automotivo - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Economia
Sergio Vidigal quer prazo maior para incentivo fiscal ao setor automotivo
Publicado por Redação VitóriaNews

O governo editou a Medida Provisória (MP) 987/20 para estender até 31 de agosto de 2020 o prazo para que empresas automotivas instaladas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do País possam obter crédito presumido do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em projetos que resultem em produtos ou modelos novos.  

Mas, o deputado federal Sergio Vidigal (PDT-ES) apresentou uma emenda para ampliar o prazo para 31 de dezembro, diante do atual cenário de pandemia provocado pelo novo coronavírus.  

A alteração no prazo beneficia ainda mais montadoras e fabricantes de automóveis, jipes, motos, caminhões, ônibus, tratores, colheitadeiras, empilhadeiras, carroçarias, reboques e autopeças. 

“É preciso prorrogar o prazo para apresentação dos novos projetos de desenvolvimento de veículos elétricos no país, a fim de permitir a adequação deles ao novo cenário”, defendeu Sergio Vidigal.  

O deputado ressalta que é necessário estarmos sincronizados às novas tecnologias que surgem nos países mais desenvolvidos, sem estarmos sempre a atrás do que já é realidade no exterior. 

“Sendo assim, estamos propondo mudar esse quadro e criar um incentivo adicional para a produção de veículos elétricos no Brasil por meio da majoração dos multiplicadores do crédito”, comentou.  

A MP vai ser submetida à votação do Plenário da Câmara dos Deputados. Em seguida, vai à votação no Senado Federal. Após esta fase, segue para sanção presidencial. 

Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.
Notícias Relacionadas