Duas pessoas morrem em queda de avião bimotor na região de Joinville (SC)

SÃO PAULO, SP, E CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) – Duas pessoas morreram na queda de um avião bimotor na região de Joinville, em Santa Catarina, na tarde desta segunda-feira (3), de acordo com o Corpo de Bombeiros.

A Polícia Científica de Santa Catarina informou que, a partir de impressões digitais, identificou uma das vítimas, Antônio Augusto de Castro Santos, e que os exames para identificar a segunda vítima estão em andamento.

Segundo a corporação, o bimotor, modelo Baron 95-B55, matrícula PS-BDW, saiu de Governador Valadares (MG) pouco depois das 14h e tinha previsão de pouso em Florianópolis (SC) três horas depois.

Porém, por motivo desconhecido, ela optou por descer no aeroporto de Joinville, onde acabou arremetendo, vindo posteriormente a cair na localidade de Barrancos, na região limítrofe entre os municípios de Itapoá e Garuva, afirmou o Corpo de Bombeiros.

A aeronave foi localizada na manhã desta terça-feira (4).

“Desde a madrugada, nossas equipes do Corpo de Bombeiros, a de Garuva, juntamente com a FAB (Força Aérea Brasileira), estavam buscando essa aeronave. Durante a madrugada ela foi localizada, infelizmente não houve sobreviventes na queda, a nossa informação inicial é de que são duas vítimas”, explicou o capitão Ricardo Aberto Dummel.

O Corpo de Bombeiros retirou os corpos das vítimas pouco antes das 10h desta terça. O sargento Felipe Lucena Bitencourt disse que foram encontrados dois corpos carbonizados no meio das ferragens.

“Era um local de difícil acesso. Tivemos que percorrer um caminho de cerca de 5 km com a caminhonete 4 por 4, no meio da mata, até chegar em um ponto onde tem uma antena. Depois foram mais 400 metros em mata fechada até o local onde a aeronave caiu”, disse ele.

O avião teria perdido o contato com a torre de comando quando sobrevoava a região de Joinville, para onde teria desviado devido às condições de pouso.

Ainda de acordo com os bombeiros, equipes vão acessar o local nesta manhã para realização da perícia e remoção dos corpos das vítimas.

A FAB afirmou que investigadores do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), órgão do Sipaer (Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), foram acionados para investigar os motivos da queda.

De acordo com a Anac (Agência Nacional da Aviação Civil), o avião pertence à empresa Conserva de Estradas, com sede em Belo Horizonte. A aeronave, fabricada em 1982, tem capacidade para seis pessoas, está em situação regular, e não tem permissão para táxi aéreo.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.