Dorlei Fontão, prefeito de Presidente Kennedy (ES), nega acusações de ameaças

O prefeito de Presidente Kennedy (ES), Dorlei Fontão da Cruz (PSD) negou as acusações feitas através do Boletim Unificado (BU) Nº 54468946 pelo cidadão Wallace Baiense Pereira, que se diz pré-candidato ao cargo de gestor municipal pelo PSB e que o acusou de ter enviado dois policiais militares à porta da sua casa, para intimidá-lo. O prefeito ainda refutou ameaças citadas no mesmo BO de Pereira.

O acusador compareceu à Delegacia às 9h36 da última segunda-feira (6), quando alegou em depoimento que está filiado ao PSB e que é pré-candidato a prefeito Presidente Kennedy-ES e que no final de semana anterior tinha recebido duas ligações mandando “recuar em suas atitudes.” 

Alegou que um dos números é de um grupo de WhatsApp que participa. Ele declarou que supõe que as ameaças “foram a mando do prefeito Dorlei Fontao.” Em seguida, afirmou que naquela mesma data de hoje, “estiveram dois policiais militares fardados na casa da vítima”, onde “supõe que (foram) a mando do prefeito Dorlei Fontão” e que “deseja representar criminalmente em desfavor dos suspeitos”.

Prefeito

Em entrevista ao Vitória News, o prefeito Dorlei desabou “Vou te dizer a verdade, o que vejo nisso é uma pouca vergonha, de um moleque, como ele é, que em toda a época de política ele diz que é doido, e que ninguém pode fazer nada com ele, porque ele é doido. Então, tem um documento que diz que ele é doido”, afirmou.

“Ele foi na Prefeitura de manhã cedo e eu não estava. Chegou lá procurando por mim nesse dia. Eu nem sei onde é a casa dele, sei que é em São Paulo (distrito de Presidente Kennedy)), mas onde é a casa dele eu não sei. Ele perguntou por Dorlei e disseram que não chegou ainda. Aí ele falou que eu estava com perseguição e mandou PM na casa”, prosseguiu.

O prefeito disse que ao tomar conhecimento do BU, ligou para o delegado da Polícia Civil da cidade, Thiago Viana, “porque ele sabe da causa certinho e falei que esse homem anda dando uma de doido, dizendo por aí que vai me matar, que vai fazer e acontecer e está dizendo que estou perseguindo ele, que mandei policial na casa dele. Agora, se ele chegar na minha casa, vou me defender mesmo. Se ele quiser me desafiar aqui não vou deixar ele bater em minha casa”, completou.

Esclarecimento

Em seguida, Dorlei Fontão da Cruz narra que recebeu um telefonema do delegado, onde ele fez um esclarecimento sobre a presença dos policiais militares na casa de Wallace Pereira. O prefeito reproduziu o que foi dito pelo delegado, que passou a seguinte informação:

“Foram dois PMs daqui, que trabalham com nós aqui na cidade, porque ligaram dizendo que ele estava com o som altíssimo na casa dele às 5h da manhã. A PM foi lá e quando chegou, ele baixou o som. Quando a PM foi embora ele ligou o som de novo e a PM não ouviu, mas rodou (o lugarejo) e flagrou ele com o som alto. O Dr Thiago me falou isso. Os PMs ainda disseram para baixar o som, senão teriam que fazer um boletim de ocorrência. Ele disse que iria desligar o som porque iria para o Rio Grande do Sul”, disse o prefeito.

Com relação às eleições deste ano, Dorlei acredita que será atípico, com propagação de fake news e até de violência. “Essa ganância, essa sede de poder, mas não sabem administrar, ter responsabilidade com o dinheiro público e depois ficam com essa perseguição, fazendo denúncia uma atrás da outra. Tem uns grupos de WhatsApp de oposição falando besteiras para caramba. Essas coisas eu nem gosto de ouvir, deixa prá lá.  Um ditado que é muito certo, o que o olho não vê, o coração não sente”, disse.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.