Diretor-geral da ANTT nega que caminhões com doações ao RS foram bloqueados

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Rafael Vitale, explicou nas redes sociais que não houve bloqueio de caminhões com doações para o Rio Grande do Sul.

Ele contou que, durante o período das fortes chuvas, no sábado (4), 7928 veículos de carga seguiram viagem após passarem pelo Posto de Fiscalização de Araranguá (SC). Segundo ele, os caminhões com excesso de peso seguiram viagem por se tratar de doações.

“Houve casos isolados de autuação por excesso de peso, na balança de Araranguá, que não se tornarão multas e serão devidamente anuladas. É importante dizer que todos esses casos, foram seis, seguiram suas viagens sem retenção na balança, ao constatarmos que eram doações. Hoje, publicamos uma portaria, oficializando as medidas regulatórias e fiscalizatórias em apoio à população do Rio Grande do Sul”, disse.

A ANTT afirmou não estar “retendo veículos de carga” nas vias de acesso ao estado e que os vídeos em que os veículos de doação são retidos “não condizem com a realidade dos fatos”. A declaração foi publicada em nota oficial no site da autarquia.

“A ANTT esclarece que, neste período emergencial, não está retendo veículos de carga nas vias de acesso ao Rio Grande do Sul. Os veículos de carga que passam nas balanças em rodovias que acessam o Estado passam por um procedimento simplificado de fiscalização e são liberados para seguir viagem. Não há solicitação de nota fiscal e nem aplicação de multas sobre veículos que transportam donativos. Os vídeos que circulam na internet que afirmam que a ANTT reteve veículos de doação não condizem com a realidade dos fatos”, divulgou o órgão, em nota.

Uma reportagem do SBT veiculada na noite de terça-feira (7) trazia a seguinte tarja: “Exclusivo: motoristas com doações estão sendo barrados e multados”. No entanto, os veículos estavam sendo parados por excesso de peso. À repórter Márcia Dantas, apenas um motorista alegou ter recebido uma multa indevida.

Márcia disse que o que foi reportado pelo SBT é “muito diferente” de fake news. “O que a gente queria naquele momento era uma celeridade. Um deles fazia uma denúncia que havia sido multado injustamente. Isso tem que ser analisado pelo órgão, não [pela] gente. Isso tá muito diferente de fake news, de dizer que a carga tá sendo retida por motivo A ou B”, disse nos Stories do Instagram na noite de terça.

A jornalista se pronunciou novamente e disse que a ANTT vai anular a multa indevida. “O SBT não divulga fake news. Nós somos uma emissora em compromisso com a verdade. Estamos aqui para ajudar a população do Rio Grande do Sul […] Se o nosso jornalismo cometer qualquer erro, nós seremos transparentes”, afirmou ao vivo nesta quarta (8) no “Chega Mais”.

Em nota, o SBT afirmou que “reforça seu compromisso com a verdade e ressalta que todo o departamento de jornalismo da emissora é guiado pela premissa de responsabilidade com a informação e com a sociedade”.

“[…] nossa equipe de reportagem constatou embaraços oficiais ao trânsito de caminhões com doações para o Rio Grande do Sul, e assim retratou os fatos, até mesmo como forma de alerta às autoridades. A informação foi confirmada hoje pela Agência Nacional de Transportes Terrestres e o resultado, inclusive, é a suspensão das multas aplicadas, o que só foi possível diante da exposição do fato”, escreveu.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.