Defesa Civil do RS diz que estuda como resgatar cavalo de telhado em Canoas

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Defesa Civil estadual do Rio Grande do Sul informou nesta quinta-feira (9) que estuda como resgatar um cavalo que está há mais de um dia ilhado no telhado de uma casa em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre. A cidade é uma das mais afetadas pelas chuvas no estado.

O órgão ressaltou que há dificuldades na operação. “É um resgate complicado, o animal pode se assustar, inclusive com a presença do helicóptero”, disse a tenente Sabrina Ribas, porta-voz do órgão, durante uma entrevista coletiva.

A Defesa Civil também ressaltou que, mais de uma semana após o início dos temporais, ainda há resgates de pessoas sendo realizados em alguns pontos do estado. Segundo o último boletim do governo estadual, divulgado na manhã desta quinta, há 136 pessoas desaparecidas.

O foco do órgão tem sido finalizar esses resgates pontuais e viabilizar a chegada de ajuda humanitária a todos os pontos do Rio Grande do Sul. Segundo o governo, 425 municípios reportaram algum tipo de dano causado pelos temporais, o que corresponde a mais de dois terços do território gaúcho.

Até a última segunda-feira (6), quase 6.000 animais que se perderam dos donos em meio às chuvas foram resgatados com vida por equipes do poder público e voluntários.

O caso do cavalo em Canoas ganhou repercussão após a cena ser registrada por um helicóptero da TV Globo. O animal tentava se equilibrar com duas patas em cada lado do telhado ocupando o único espaço da estrutura que ainda não havia sido atingido pela água. Qualquer movimentação poderia fazer o cavalo cair.

Embora tenha informado que estuda a viabilidade do resgate, a Defesa Civil não informou se há prazo para isso ser feito. Não há informações sobre quem seria o dono do animal ou o que aconteceu com ele.

Segundo o governo do estado, 5.432 animais foram socorridos pela Brigada Militar, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros em municípios gaúchos.

Além disso, outros 214 foram resgatados pela organização não governamental GRAD (Grupo de Resposta a Animais em Desastres) na região metropolitana de Porto Alegre.

Mais de cem pessoas morreram em decorrência das chuvas em todo o Rio Grande do Sul.

A Defesa Civil que ao menos 22 municípios já receberam remessas de doações a partir do centro logístico em Porto Alegre. O órgão afirma que distribuiu, até agora, mais de 17 mil quilos de alimentos, 14 mil cestas básicas, mais de 4.700 mil kits de itens diversos (de higiene a vestuário), e 1.700 colchões.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.