‘Corinthians tem o potencial de liderar o futebol brasileiro’, diz novo CEO do clube

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Convivendo com uma crise dentro e fora de campo, o Corinthians apresentou nesta quarta-feira (3), no CT Joaquim Grava, o executivo Fred Luz como o novo CEO (Chief Executive Officer) do clube.

Entre 2013 e 2018, Luz exerceu o mesmo cargo no Flamengo, cuja função é comandar o clube administrativamente ao lado do presidente. Augusto Melo decidiu por sua contratação seguindo uma recomendação da consultoria E&Y (Ernst & Young), escolhida no início do ano para fazer uma análise da situação econômica e financeira.

Luz assume junto com o novo diretor financeiro, Pedro Silveira, em substituição a Rozallah Santoro, que entregou o cargo em junho em meio à polêmica envolvendo a antiga patrocinadora do Corinthians, a empresa de apostas esportivas VaideBet.

Em suas primeiras declarações, a dupla procurou demonstrar otimismo em relação ao potencial que enxergam para o clube do Parque São Jorge, mas evitando aprofundar-se em quais serão os caminhos adotados para equilibrar as contas.

“Acredito que o Corinthians tem o potencial para liderar o futebol brasileiro e vamos ter um trabalho árduo nesse sentido, mas estou muito animado com as possibilidades”, afirmou Luz, que vinha exercendo o cargo de diretor executivo da consultoria Alvarez & Marsal, trabalhando na reestruturação financeira do Cruzeiro e do Coritiba.

O CEO disse que a situação relativa do alvinegro, em relação ao Flamengo dos anos 2010, “é muito melhor”, mas ponderou que “isso não quer dizer que o Corinthians não tenha problemas graves e importantes para resolver, porque tem”.

O executivo afirmou ainda que fará um trabalho de mapeamento nas próximas quatro a seis semanas, para identificar os principais gargalos e as oportunidades desperdiçadas.

Ele disse que apontar as estratégias para o equacionamento da dívida do clube neste momento seria “prematuro e leviano”. Mas ressaltou que o custo da dívida prejudica os resultados esportivos, já que trata-se de dinheiro drenado por bancos e credores.

Silveira, por sua vez, fez carreira no mercado financeiro e foi candidato ao conselho pela chapa Valores 83, não sendo eleito no último pleito. Ele afirmou que chega com a missão de implementar uma gestão profissional no departamento financeiro.

Uma das primeiras medidas anunciadas pelo novo diretor, também seguindo recomendação da E&Y, é a formação de um comitê externo consultivo independente, formado por executivos do mercado que são corintianos e estão dispostos a ajudar o clube sem serem remunerados.

Entre os membros do comitê estão Marcelo Bacci, diretor financeiro da Suzano, Renato Breia, sócio da gestora Nord Wealth, e Alexandre Manoel, economista-chefe da AZ Quest.

“Eles nos ajudarão a fazer uma avaliação precisa da situação financeira do Corinthians e trarão sugestões para que eu e o Fred possamos tentar implementar”, afirmou Silveira.

Ele disse também que o adiantamento que o clube deve receber pelo acordo bilionário com a LFU será direcionado para quitar pagamentos atrasados de jogadores do elenco profissional.

“Toda grande empresa tem dívidas, a questão é torná-las uma dívida saudável, que não atrapalhe o andamento do negócio. Hoje a dívida do Corinthians não é saudável e atrapalha o dia a dia.”

Em relação a novos reforços, o diretor financeiro afirmou que o executivo de futebol, Fabinho Soldado, tem autonomia para tratar do assunto, mas salientou que é preciso haver respeito ao orçamento. “E disso não vamos abrir mão.”

A dupla assume em um momento delicado do time, que demitiu na véspera o técnico António Oliveira, após derrota para o Palmeiras.

No Campeonato Brasileiro, o clube está na 19ª posição, na zona do rebaixamento, com 9 pontos somados em 13 jogos. Devido ao desempenho ruim em campo, torcedores invadiram na semana passada o Parque São Jorge para protestar.

Fora das quatro linhas, a situação também não é boa. Em junho, a casa de apostas esportivas online VaideBet, que era a principal patrocinadora do Corinthians, anunciou a rescisão do acordo.

O contrato de patrocínio está sendo investigado pela Polícia Civil. No dia 20 de maio, o jornalista Juca Kfouri afirmou em seu blog no UOL que a empresa Rede Social Media Design, de Alex Fernando André —que atuou na campanha de Augusto Melo à presidência do time alvinegro— repassou parte da comissão que recebeu para uma empresa “laranja”.

O repasse teria sido feito a revelia do então diretor financeiro, Rozallah Santoro, que acabou entregando o cargo.

Presente na apresentação dos novos membros da diretoria, o presidente Augusto Melo afirmou que a dupla terá toda a autonomia para fazer o trabalho que julgar necessário.

“A partir do momento que trabalho com pessoas que confio, delego e dou toda a autonomia possível para que eles desempenhem o que sabem fazer de melhor”, afirmou Melo.

Em declarações anteriores sobre as eventuais irregularidades no acordo de patrocínio com a VaideBet, o mandatário havia dito que seu maior erro teria sido justamente de confiar e delegar funções a pessoas erradas dentro do clube.

“Durante a campanha, deixamos claro que nossa intenção era profissionalizar o Corinthians, para que o clube possa novamente trilhar seus caminhos e chegar onde nunca deveria ter saído”, disse o presidente do alvinegro.

Compartilhe: