Colisão de trens em Buenos Aires deixa ao menos 90 feridos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Uma colisão entre dois trens em Buenos Aires, na Argentina, deixou ao menos 90 pessoas feridas na manhã desta sexta-feira (10), de acordo com a imprensa do país. Sessenta pessoas foram atendidas no local do acidente, e ao menos 30, entre elas um maquinista, foram hospitalizadas, segundo o jornal La Nacion. Não houve registro de mortes.

O acidente ocorreu por volta das 10h30 na linha San Martín, em um viaduto a metros da estação Palermo, localizada no bairro de mesmo nome. Um trem de passageiros bateu em um trem de carga que estava parado para serviços de manutenção na linha. O choque entre os trens gerou uma explosão e perda de combustível. A estrutura do viaduto foi considerada instável por autoridades.

Os motivos da colisão estão sendo investigados, mas a hipótese de autoridades locais é que houve uma falha no sistema de comunicação da linha, que pode ter sido causada pelo furto de cabos ou por um erro operacional.

Até o início da tarde, equipes de atendimento emergencial continuavam no local do acidente. Todos os passageiros foram retirados do local, e os mais gravemente feridos, transportados para o hospital. Duas pessoas foram transportadas por helicóptero, uma delas com um trauma no tórax e fratura de um membro superior. Outras duas pessoas sofreram traumatismo craniano, segundo informações do Clarín.

O furto de cabos de alta tensão para a venda do cobre é um problema frequente na Argentina, com casos de mortes e ferimentos graves por eletrocussão.

Líder sindicalista de maquinistas argentinos, Omar Maturano denunciou à Radio 10 não só o roubo de cabos, como também também a deterioração das locomotivas e vagões, de acordo com a agência de notícias AFP.

“Estão roubando os cabos de sinalização, há dez dias estamos pedindo que sejam consertados, mas não há peças de reposição, há uma degradação total da empresa, não apenas em relação às reposições para sinalização, mas também aos trens e vagões porque não há orçamento”, disse.

A embaixada do Brasil na Argentina disse à Folha que, até a tarde desta sexta, não tinha informações sobre brasileiros feridos ou envolvidos no acidente.

Em 1970, um choque entre trens em General Pacheco, a cerca de 30 quilômetros de Buenos Aires, matou mais de 200 pessoas —o maior acidente ferroviário da história da Argentina.

Na ocasião, um trem, partido da cidade de Zárate, ao norte de Buenos Aires, parou em um desvio após apresentar problema mecânico. Funcionários, achando que o veículo já havia saído, deram passagem para outro expresso, o que ocasionou a colisão.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.