Câmara aprova taxação para compras em sites internacionais, Nubank ultrapassa Itaú e o que mais importa

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Câmara aprova taxação para compras em sites internacionais, Nubank ultrapassa valor de mercado do Itaú e o que mais importa no mercado.

*Fim da isenção para Shein, Shopee e AliExpress*

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (28) projeto que tributa as compras de até US$ 50 em sites estrangeiros. A alíquota será de 20%.

↳ As principais afetadas devem ser as plataformas asiáticas Shein, Shopee e AliExpress.

Hoje, esses produtos são isentos do Imposto de Importação. Os estados já cobram uma alíquota de 17% sobre compras internacionais de até US$ 50.

Drible. Para contornar a taxação atual, vendedores chegam a dividir as compras em mais de uma remessa. Na Shopee, um anúncio vendia um pé de sapato por vez, por exemplo.

A cobrança dos 20% partiu de um acordo entre a Câmara e o Palácio do Planalto. Para valer, o projeto de lei ainda precisa passar pelo Senado e pela sanção do presidente Lula.

Antes do acordo, Lula afirmava ser contra a cobrança.

Para ser justo. Estudos da indústria nacional apontam que a tributação total teria que ser entre 35% e 60% para garantir condições de igualdade das empresas brasileiras com os estrangeiros.

↳ Com a nova tributação federal, o imposto ficará em torno de 37%.

O varejo nacional acusa as plataformas de concorrência desleal, e estudos apontam que compras internacionais representam 0,5% de todo o varejo.

↳ Relatório do Goldman Sachs mostra que a chegada da Temu e do TikTok Shop, plataforma de compras do TikTok, deve manter a concorrência e o custo de aquisição de clientes alto no Brasil.

Denúncias. O varejo também acusa os sites de colocarem a saúde da população em risco. Um levantamento encontrou venda de formol e de produtos sem comprovação científica, como pomadas contra câncer.

“Nacionais”. Para seguirem fortes no mercado, Shopee e Shein divulgaram investimentos no Brasil e parcerias com lojistas locais para nacionalizar parte de suas operações.

↳ A Shein tem a meta de atingir 85% das suas vendas a partir de vendedores locais até o final de 2026, com a contratação de 2.000 confecções no país.

Relembre. A Receita Federal tentou acabar com a isenção e taxar as compras com uma alíquota de 60% em 2023 para fechar brechas para fraudes e sonegação.

Mas… A notícia repercutiu mal. Na época, o governo teve acesso a pesquisas de monitoramento que apontaram que a maioria dos comentários nas redes sociais sobre o assunto foram negativos.

*Nubank ultrapassa Itaú*

Com o primeiro lucro no último ano, as ações do Nubank têm disparado. Em 12 meses, a valorização foi de 80% na Bolsa de Nova York.

O resultado? O valor de mercado do banco digital ultrapassou o do Itaú nesta terça-feira (28).

↳ O Itaú vale R$ 288,6 bilhões;

↳ O Nubank vale US$ 58,2 bilhões, o equivalente a R$ 300 bilhões.

Os motivos? As ações do Nubank receberam atenção de analistas devido aos bons números do primeiro trimestre de 2024:

O lucro cresceu 14%, batendo US$ 379 milhões (R$ 1,9 bilhões);

A receita teve alta ainda maior, de 69%, e atingiu US$ 2,7 bilhões (R$ 13,8 bilhões).

“Top picks”. O Itaú BBA reiterou a recomendação de compra das ações nesta semana, classificando os papéis como “top picks” (algo como “melhores escolhas”, em português) no setor de finanças.

Para os próximos trimestres, o banco de investimento vê crescimento do lucro e estima um valor de US$ 13 (R$ 67) para as ações. Com o movimento positivo de ontem, elas alcançaram US$ 12 (R$ 62).

↳ O desafio, porém, é aumentar a oferta de crédito a sua ampla base de clientes.

↳ A inadimplência mais alta que os concorrentes, que deixou parte dos investidores em alerta, foi classificada como natural durante um processo de expansão.

O BBA também prevê que o banco terá uma boa relação de retorno sobre seu patrimônio. A previsão é que o indicador conhecido como ROE alcance 30%. Hoje, ele é de 23%.

Itaú e Banco do Brasil têm ROEs em torno de 21%.

Sim, mas… A valorização do dólar, o forte apetite de investidores nos Estados Unidos e fraco na Bolsa brasileira também ajudam a explicar o movimento.

E o Itaú? Mesmo com valor de mercado menor que o do Nubank, o banco tem um lucro maior, além de ser líder em patrimônio e volume de ativos sob gestão. A qualidade da carteira de crédito, apontada pela inadimplência mais baixa, também é melhor.

No primeiro trimestre, o lucro do Itaú foi de R$ 9,8 bilhões.

Vale ressaltar. Essa não é a primeira vez que o Nubank ultrapassa o Itaú em valor. Na primeira semana após o IPO (oferta pública inicial, na sigla em inglês), o banco digital foi avaliado em US$ 41,5 bilhões (R$ 231,4 bilhões). À época, o Itaú valia R$ 210,2 bilhões.

Criado em 2013 com foco na oferta de cartão de crédito sem anuidade, o Nubank gerou o primeiro lucro trimestral na virada de 2022 para 2023. Foi pioneiro no segmento de bancos digitais e tem expandido em novas frentes de negócio. Em abril deste ano, atingiu 100 milhões de clientes.

*Inflação já mostra impacto das chuvas no RS*

Dados prévios do mês de maio mostram como a tragédia das chuvas no Rio Grande do Sul impacta a inflação.

Os preços subiram em média 0,47% no Brasil neste mês, de acordo com o índice IPCA-15, divulgado nesta terça-feira (28). Na capital Porto Alegre, porém, o aumento foi de 1,15%.

Esse índice mede a variação dos preços entre a metade de um mês e a metade de outro, por isso é considerado uma prévia.

O impacto real das chuvas será visto em junho no índice oficial, o IPCA, que mostrará os dados fechados de maio.

A inflação em alta no Rio Grande do Sul foi principalmente sobre os alimentos. Os preços de alimentos e bebidas na capital gaúcha tiveram um ritmo de alta três vezes maior que o registrado no Brasil.

Entenda. O impacto das chuvas na inflação do Brasil não se resume só ao peso de Porto Alegre nos cálculos estatísticos.

Como as enchentes provocaram uma queda de 851 mil toneladas na safra de grãos, a tendência é de alta dos alimentos também em outros estados. A atenção está sobre o arroz e a carne de porco.

↳ Nesta segunda (27), o governo federal aumentou para R$ 7,2 bilhões os recursos para importar até 1 milhão de toneladas de arroz.

Além da comida: a indústria da serra gaúcha também foi afetada, e a destruição da infraestrutura para escoamento da produção joga contra.

Efeitos. As últimas pesquisas do Banco Central com economistas mostram que a expectativa de inflação para o Brasil neste ano subiu de 3,73% para 3,86% desde o início da tragédia.

↳ O impacto da tragédia sobre o PIB (Produto Interno Bruto) ainda é motivo de dúvidas.

Na variação mês a mês, o 0,47% do IPCA-15 mostra uma aceleração frente aos 0,21% de abril. No entanto, no acumulado de 12 meses, o índice desacelerou. Como ficam os juros? Analistas ouvidos pela Folha de S.Paulo apontam que os dados do IPCA-15 são positivos ao se considerar as preocupações da última reunião de política monetária do BC. Os membros do Copom (Comitê de Política Monetária) decidiram desacelerar o ritmo que vinham adotando no corte dos juros básicos no Brasil, de 0,50 para 0,25 ponto.

↳ Hoje, os juros estão em 10,50%, e o Banco Central não se comprometeu com qualquer movimento na próxima reunião.

A decisão de não se comprometer e adotar uma flexibilidade no seu processo de corte dos juros, iniciado em 2023, foi elogiada pelo FMI (Fundo Monetário Internacional).

*Toyota insiste nos motores a combustão*

A Toyota ainda vê futuro para os carros a combustão, hoje movidos principalmente a diesel e gasolina. A montadora japonesa anunciou uma nova linha de motores que vão operar “em parceria” com as baterias elétricas nos modelos híbridos.

Os novos motores devem ser menores e mais potentes, aproveitando o impulso da bateria.

Cautela. A Toyota é a montadora mais cuidadosa quando o assunto é a transição aos modelos totalmente elétricos.

O presidente da empresa, Akio Toyoda, prevê que os carros apenas elétricos serão “apenas” 30% do mercado.

Nos últimos meses, houve diminuição das vendas dessas versões no mundo devido a preocupações com custos, postos de carregamento insuficientes nos países e preço de revenda.

Híbridos em alta. Montadoras têm ajustado seus projetos, dando atenção aos modelos híbridos, com maior aceitação.

↳ Eles são mais flexíveis, já que podem ser projetados também para biocombustíveis e hidrogênio verde. O modelo também tem menos restrições em relação à agenda ambiental.

Nos Estados Unidos, uma decisão do presidente Joe Biden pressiona pelo fim dos carros 100% a combustão, mas dá espaço para os híbridos.

Meia volta. A americana General Motors, por exemplo, chegou a garantir que suas linhas de automóveis seriam 100% elétricas a partir de 2035, mas retrocedeu.

No Brasil, a força do setor de etanol é um fator que estimula também os modelos híbridos em vez dos 100% elétricos.

↳ A produção dos biocombustíveis no país, inclusive, levou a Stellantis a anunciar um modelo 100% a etanol, comum no Brasil décadas atrás, que deve estrear até o fim de 2025. Os investimentos gerais da empresa, no entanto, são no modelo híbrido.

A depreciação dos modelos elétricos também favorece a tecnologia híbrida.

Mas… A defesa dos elétricos segue forte pela pioneira Tesla e pela Volvo, que defendem que o futuro será a bateria. Veja o porquê nesta entrevista com o presidente da montadora sueca no Brasil.

No Brasil, o interesse por carros elétricos cresceu no último ano. Uma pesquisa da Ipsos Drives indica que 16,1% dos entrevistados estão dispostos a comprar um veículo da categoria.

↳ O percentual representa um potencial de venda de 350 mil unidades por ano, bem acima das 19 mil de hoje no país.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.