Bélgica apenas empata com Ucrânia e pega França nas oitavas da Eurocopa

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Nesta quarta-feira (26), em jogo na Stuttgart Arena, Ucrânia e Bélgica disputavam um lugar nas oitavas de final da Eurocopa 2024, em que quem vencesse, garantia o seu bilhete para o mata-mata. A partida terminou empatada em 0 a 0, mas só os belgas vão adiante na competição.

Em partida com poucas emoções e chances de gol, o duelo entre ucranianos e belgas terminou empatado em 0 a 0.

A classificação final também dependia do confronto que acontecia em Frankfurt, entre Eslováquia e Romênia, partida que teve empate por 1 a 1, com gols de Duda (SLK) e Marin (ROM) e alterou as posições do grupo.

Com a combinação de resultados, a classificação do Grupo E teve a Romênia garantida na liderança, com 4 pontos, ganhando da Bélgica, vice-líder, por conta do número de gols marcados no grupo (4 contra 3), já que tinham saldo de gols igual. Ambos tiveram saldo superior a Eslováquia, que também somou 4 pontos.

A Ucrânia acabou eliminada, mesmo com 4 pontos, como as outras três seleções do seu grupo, porque tinha um saldo de gols pior (-2) em relação a romenos e belgas (+1) e aos eslovacos (0).

Nas oitavas de final, a Bélgica, como segunda colocada do Grupo E, vai enfrentar a França, que foi vice-líder do Grupo D. A partida será na próxima segunda-feira (1º), às 13h (horário de Brasília), em Dusseldorf.

COMO FOI O JOGO

Nos primeiros minutos de jogo, o time belga, comandado pelo técnico Domenico Tedesco, tomou mais a iniciativa frente aos ucranianos, que em dado momento, tinham dificuldade de sair do seu campo de defesa. Faltavam jogadas em velocidade, especialmente pela ausência do atacante Mudryk. O jogador do Chelsea foi o grande desfalque do time, lesionado. A tendência do primeiro tempo era um jogo de pouca inspiração, e muita afobação, com diversos erros de passes, especialmente do time comandado por Sergiy Rebrov.

Com dificuldades no estilo de toques curtos e com a posse, que era dominada pela seleção da Bélgica, a Ucrânia passou a tentar mais lançamentos e bolas longas, que em algumas vezes, geraram perigo. Mas embora os belgas tivessem a bola, por outro lado, não ameaçavam o gol adversário.

Na segunda etapa, a tendência da partida mudou pouco. A Bélgica tinha mais a bola, mas pouca efetividade na construção de ações, enquanto a Ucrânia não aproveitava quando tinha oportunidades, com um jogo em que as marcações seguiam eficientes e concedendo pouco, a ponto da partida ter poucos chutes a gol nos primeiros minutos da etapa complementar.

O empate bastava aos belgas para a classificação, mas não para os ucranianos, que na reta final da partida, ao saber do resultado do jogo em Frankfurt, partia para o ataque, mas com certo nervosismo para tentar o gol da salvação, o que impedia que o time ucraniano empilhasse chances. Com mais posse de bola, a Bélgica abdicou de atacar para defender o empate e a classificação, conseguida após o apito final.

GOLS E DESTAQUES

Lukaku arrisca primeiro: Aos 6 minutos, De Bruyne achou ótimo passe para Lukaku dentro da área, mas o camisa 9 chutou mal, e Trubin fez uma defesa tranquila.

Dovbyk conclui de longe: Aos 21, foi a vez do centroavante ucraniano tentar, com uma jogada que começou com Yaremchuk aproveitando erro de passe de Faes, e que tocou logo em seguida para Dovbyk tentar de fora da área, mas a bola foi longe do gol de Casteels.

De Bruyne tenta enganar o goleiro: Aos 32, De Bruyne, em cobrança de falta, viu o goleiro Trubin mal posicionado e tentou cobrar direto uma falta no lado direito, mas a bola foi na rede pelo lado de fora.

Sudakov faz o goleiro trabalhar: Aos 34, após bola longa lançada na direção de Mykolenko, o lateral rolou a bola pra trás e viu a chegada de Sudakov, que chutou, mas Casteels fez defesa tranquila.

Lukaku tem primeira chance do 2º tempo: Aos 19, Lukaku recebeu a bola ao seu estilo no lado esquerdo, partiu pra cima do defensor ucraniano dentro da área e chutou de chapa, mas Trubin defendeu com tranquilidade.

Carrasco tem sua chance: Aos 28, Carrasco trocou passes pelo lado direito com Lukaku, recebeu o passe final do atacante e chutou, mas Trubin faz uma grande defesa.

Dovbyk recebe e chuta: Aos 33, o centroavante ucraniano recebeu a bola dentro da área, girou pra cima do zagueiro belga e chutou, mas a bola foi na rede pelo lado de fora.

Malinovskyi quase consegue gol olímpico: Aos 37, Malinovskyi, que tinha acabado de entrar, viu Casteels desatento, e tentou um gol olímpico pelo lado direito, mas o goleiro conseguiu defender em cima da linha.

Contra-ataque belga gera perigo: Aos 42, De Bruyne arrancou do meio-campo, invadiu a meia-lua, viu Bakayoko passar no lado esquerdo e tocou, mas Bakayoko chutou por cima do gol.

Sudakov tenta última chance: Aos 45, o meia Sudakov fez uma jogada de qualidade, driblou três marcadores belgas, invadiu a área e chutou forte, mas Casteels defendeu com segurança.

Estádio: Stuttgart Arena, em Stuttgart (Alemanha)

Árbitro: Anthony Taylor (ING)

Assistentes: Gary Beswick (ING) e Adam Nunn (ING)

VAR: Stuart Attwell (ING)

Amarelos: Faes, Dovbyk

UCRÂNIA

Trubin; Tymchyk, Zabarnyi, Svatok (Yarmolenko), Matvienko, Mykolenko (Zinchenko); Shaparenko (Vanat), Brazhko (Stepanenko), Sudakov; Yaremchuk (Malinovskyi), Dovbyk. T.: Sergiy Rebrov

BÉLGICA

Casteels; Castagne, Faes, Theate, Castagne; Tielemans (Mangala), Onana, De Bruyne; Doku (Bakayoko), Lukaku (Openda), Trossard (Carrasco). T.: Domenico Tedesco

Compartilhe: