Ator de teatro diz ter sofrido racismo ao ser abordado por diretor do prêmio APCA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O ator Giu Alles, da companhia de teatro Antropofágica, afirmou ter sofrido racismo durante premiação da APCA, a Associação Paulista de Críticos de Arte, em cerimônia que ocorreu nesta terça-feira no teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo.

Ele fez a acusação no palco, dizendo que havia sido abordado momentos antes por um dos organizadores do evento.

“Me chamaram para pedir para eu tirar o prêmio da bolsa. Tive que abrir minha bolsa e mostrar que eu estava guardando meu celular, não o prêmio. O que eu queria dizer, na verdade, é que nossa relação com os racistas não tem que ser de vítima, tem que ser de algoz”, disse Alles, no microfone, à plateia.

O ator havia sido abordado por Celso Curi, um dos diretores da APCA. Curi diz que só chamou Alles porque outra pessoa do evento havia lhe dito de que o artista teria guardado o troféu na bolsa.

Os artistas receberam estatuetas simbólicas, de edições antigas do evento, apenas para tirarem fotos, que deveriam ser devolvidas ainda no evento —as oficiais, que não ficaram prontas a tempo da cerimônia, devem ser entregues para cada um deles nos próximos dias.

“Eu dei um dos votos que fez eles receberem o prêmio, então não havia motivo para eu constranger ninguém”, diz Curi. “O que eu falei para ele foi: ‘Alguém da produção me disse que você guardou o troféu, mas esse não é seu, o de vocês vai chegar pelo Correios’. Ele respondeu que não tinha pegado o troféu e abriu a bolsa. Aí eu disse que não tinha problema, ele se afastou e se misturou com os premiados.”

Curi diz ainda que tentou se explicar com Alles imediatamente após o ocorrido, mas o ator teria se recusado a ouvi-lo.

“Ele me pediu desculpas. Eu disse que não desculpava, e virei as costas. Fiz isso porque estava no palco, como ator do grupo, e achei um absurdo ter que falar qualquer coisa ali naquele momento, enquanto os colegas faziam seus agradecimentos. Depois disso ele sumiu”, conta Alles.

Curi, que afirma defender as diferenças desde a ditadura, se diz magoado com o ocorrido. “A APCA não pode receber essa pecha de racista porque realmente não é. É múltipla e interessada em promover a diversidade, sempre foi. Não faz sentido essa acusação.”

Em nota, a Antropofágica diz estar preparando uma carta de repúdio em resposta ao ocorrido. “Tomamos conhecimento de nota publicada pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) por meio de seu diretor Celso Curi. Reconhecemos nela uma distorção dos fatos e repudiamos a tentativa de apresentar a situação como ruído de comunicação. A Antropofágica aguarda uma retratação pública.”

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.