Ataque massivo da Rússia atinge rede elétrica e mata ao menos 2, diz Ucrânia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Um ataque massivo com mísseis e drones lançado pela Rússia neste sábado (22) danificou usinas e infraestrutura de energia nas regiões sudeste e oeste da Ucrânia, e bombardeios contra a cidade de Kharkiv mataram duas pessoas, de acordo com autoridades ucranianas.

A agência responsável pela rede elétrica do país disse que os ataques, que vem se intensificando, atingiram instalações em Zaporíjia e Lviv e que dois trabalhadores ficaram feridos. Um outro ataque também teve como alvo um armazém de gás natural.

Como resposta, o governo ucraniano disse que vai aumentar o racionamento e a a duração de cortes programados de energia em todo o país. Os ataques contra a rede elétrica pressionam a população civil e causam blecautes mesmo no verão do hemisfério norte, quando o consumo costuma ser menor.

Na cidade de Kharkiv, a segunda maior do país, com 1,3 milhão de habitantes, o prefeito Ihor Terekov disse que bombardeios russos contra áreas residenciais mataram duas pessoas e feriram outras 18. Kharkiv fica a 30 quilômetros da fronteira com a Rússia e tem estado constantemente na linha de frente do conflito, que já dura mais de dois anos.

Defesas aéreas ucranianas derrubaram 12 dos 16 mísseis lançados pela Rússia, de acordo com a Força Aérea de Kiev, e alarmes de bombardeio soaram por várias horas na madrugada de sábado.

O Kremlin disse em nota que utilizou mísseis de longa distância e drones para atingir depósitos de munição e usinas elétricas envolvidas com produção de equipamentos militares. De acordo com a Ucrânia, os ataques foram lançados do Mar de Azov, localizado entre a península da Crimeia e as costas ucraniana e russa e conectado ao Mar Negro pelo estreito de Querche.

“Isso é um avanço significativo, porque sinaliza que [os russos] consideram Azov mais seguro do que o Mar Negro”, disse um porta-voz da Marinha ucraniana. Ao longo da guerra, Kiev já direcionou uma série de ataques contra navios russos no Mar Negro e contra instalações navais na Crimeia.

Com os bombardeios contra a infraestrutura de energia da Ucrânia, a quantidade de eletricidade importada pelo país chegou ao nível recorde de mais de 33 mil megawatts/hora neste sábado, de acordo com o Ministério de Energia.

Recentemente, o presidente ucraniano Volodimir Zelenski disse que a Rússia já destruiu metade da capacidade energética da Ucrânia, e pediu que painéis solares sejam instalados o mais rápido possível em escolas e hospitais.

Autoridades do setor energético ucraniano alertam que o país vai sofrer uma grave crise de desabastecimento no próximo inverno caso aliados ocidentais não se mobilizem a favor da Ucrânia. Kiev pede ajuda para reconstruir sua rede elétrica.

Do outro lado do front, o governador da região ocupada de Donetsk, controlada pela Rússia, disse que três pessoas morreram depois que um ataque ucraniano atingiu a cidade de mesmo nome. Segundo a autoridade, a arma utilizada foi um míssil de fabricação americana.

Compartilhe: