As reações do dólar às falas de Lula, e Amazon ultrapassa US$ 2 tri em valor de mercado e que importa no mercado

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – As reações do dólar às falas de Lula, e Amazon ultrapassa US$ 2 trilhões em valor de mercado. Também nesta edição: o bilionário Bernard Arnault mira a Cartier, a tecnologia que permite aproveitar calor gerado por data centers e outros destaques do mercado nesta quinta-feira (27).

**LULA FALA, DÓLAR DISPARA**

Pela terceira semana seguida, o dólar fechou um dia com alta na sua cotação após declarações do presidente Lula (PT). Nesta quarta-feira (26), a moeda encerrou em R$5,52, maior valor desde janeiro de 2022. Logo depois, Lula ironizou a reação.

ENTENDA

O Brasil tem um sistema de câmbio flutuante, em que o preço do dólar varia de acordo com diversos fatores, mas principalmente oferta e demanda.

Listamos abaixo o que foi dito, a reação a isso e outros fatores que provocaram reação do mercado no dia.

12.jun

O que ele disse: “O aumento da arrecadação e a queda da taxa de juros permitirão a redução do déficit sem comprometer a capacidade de investimento público”.

Subiu quanto? Começou o dia a R$ 5,37 e encerrou a R$ 5,41.

↳ A fala não foi o único motivador da alta. Investidores reagiram negativamente a derrotas de Haddad no Congresso, que devolveu uma MP para aumentar a arrecadação.

18.jun

O que Lula disse: “O presidente do Banco Central, que não demonstra nenhuma capacidade de autonomia, que tem lado político e que, na minha opinião, trabalha muito mais para prejudicar o país do que para ajudar o país”.

Subiu quanto? De R$ 5,42 para R$ 5,43. Durante o dia chegou a R$ 5,44.

↳ A cotação já vinha em alta nos pregões anteriores com as expectativas em alta em relação à decisão do Banco Central sobre os juros.

26.jun

O que ele disse: “O problema não é que tem que cortar (gastos). Problema é saber se precisa efetivamente cortar ou se precisa aumentar a arrecadação”

Subiu quanto? De R$ 5,45 para R$ 5,52.

Saldo do mês: a alta foi de quase 7% desde o início de junho. No dia 1ª, um dólar custava R$ 5,24.

CENÁRIO EXTERNO

O futuro dos juros nos Estados Unidos também contribui para a alta da moeda, que sobe em todo o mundo. Com a economia forte e a inflação em queda lenta, o Fed (banco central americano) mantém as taxas em patamar elevado.

Juros altos nos EUA valorizam o dólar porque atraem grandes remessas de dinheiro para os títulos do país. Para investir, é preciso comprar a moeda americana antes.

**AMAZON ALCANÇA US$ TRILHÕES**

As ações da Amazon dispararam 4% nesta quarta-feira (26) e levaram a empresa a ultrapassar pela primeira vez o valor de mercado de US$ 2 trilhões (R$ 11,05 trilhões).

A companhia segue como a 5ª mais valiosa do mundo, atrás de Alphabet (Google), Nvidia, Apple e Microsoft.

SOBE E DESCE

Os lucros no primeiro trimestre foram vistos como negativos, o que levou as ações a caírem no começo do ano. Mas os papéis se recuperaram e, no ano, sobem 27%.

ENTENDA

mais valiosa do mundo, mas retornou ao terceiro lugar.

**DATA CENTER AQUECE PISCINA**

O aquecimento gerado pelo funcionamento de grandes data centers ganhou uma utilidade. Na Europa e no Canadá, empresas conseguem conduzir o calor desses centros até onde as pessoas podem aproveitá-lo, como casas e piscinas.

Isso será usado nas Olímpiadas de Paris para esquentar a água do centro aquático que sediará competições de natação.

O QUE SÃO

Data centers são galpões repletos de computadores resfriados por fortes ar-condicionados, usados para armazenar dados por trás do funcionamento da internet.

GASTO ALTO

No Brasil, uma unidade grande consome cerca de 30 megawatts, mesma energia que 16,3 mil casas precisam, de acordo com estimativas da Eletrobras. O país tem 130, de todos os tamanhos, a maioria em São Paulo.

POR QUE IMPORTA

O avanço da inteligência artificial deve elevar a demanda por energia nesses centros, um ponto de atenção em meio à transição energética.

Aproveitar esse calor colabora para deixar a IA e as tecnologias digitais mais verdes

.Nos EUA, o consumo dos centros de dados crescerá de 4% para 6% da demanda total do país até 2026.

Como funciona: a tecnologia usa água e materiais condutores para fazer o transporte por terra. A água sai do datacenter com temperatura entre 25ºC a 30ºC. No destino, pode ser aquecida ainda mais por bombas de calor.

Também no Brasil. A Equinix, multinacional que administra data centers, foi responsável pela infraestrutura construída em Paris e pretende investir no Brasil. O país teria uma reserva de calor relevante.

Desafios. A infraestrutura de calefação é pequena no Brasil. Existe basicamente em cidades do Sul onde faz muito frio. Para aproveitar o calor, a empresa defende investimentos públicos no Sudeste.

ENERGIA LIMPA

Com matriz energética limpa, o Brasil contribuiria para melhorar os indicadores médios de emissões da Equinix e outras multinacionais. A energia limpa é, inclusive, apresentada como diferencial pelas brasileiras Elea, Ascenty e Scala.

Para interromper a mudança climática e manter o aquecimento global em 1,5ºC, as emissões precisam cair 45% até 2030 e chegar a zero em 2050.

**REI DO LIXO MIRA CARTIER**

Bernard Arnault, CEO do grupo de luxo LVMH, chamou a atenção do mercado mais uma vez ao comprar ações do grupo Richemont, dono da joalheria de luxo Cartier.

POR QUE IMPORTA

Ele é o terceiro homem mais rico do mundo, atrás de Elon Musk e Jeff Bezos, e conhecido por seu apetite em adquirir concorrentes.

Foi responsável por expandir a Louis Vuitton nos últimos anos, formando uma gigante da moda que inclui Dior, Sephora, Chandon, Tag Heuer, Givenchy e Marc Jacobs.

A rede de joalherias Tiffany foi a compra mais cara, em 2021, por US$15,8 bilhões (R$ 87,3 bilhões).

Nesta terça-feira (25), o grupo anunciou a aquisição da Swiza, fabricante dos relógios L’Epée 1839.

Fontes disseram ao jornal Financial Times que a quantidade de ações da Richemont adquiridas é muito pequena para ser divulgada e seria um investimento pessoal do bilionário.

MAS…

A compra poderia retomar especulações sobre aquisições em grandes grupos de luxo. O grupo dono da Cartier está se preparando para a sucessão.

Na LVMH, a mudança de comando também está em pauta, e os filhos de Arnault começam a ganhar mais responsabilidades.

Em entrevista à agência Bloomberg nesta terça-feira, Arnault ignorou as perguntas sobre aquisições. Ele disse que tinha “ideias para o futuro”, mas ponderou que o grupo não “precisava” ir às compras.

O CASO HERMÈS

As investidas sobre seus concorrentes nem sempre saem como esperado. Em 2010, o grupo de Arnault comprou ações do grupo Hermès aos poucos, sem alarde, e chegou a ter 23% de participação.

A família por trás da concorrente reagiu fortemente à aproximação da LVMH, cuja participação hoje caiu para 2%. A Hermès produz a famosa bolsa Birkin.

Mercado de luxo. O segmento teve um forte crescimento nos últimos anos, cerca de 30% ao ano, impulsionado pelo crescimento de países emergentes.

↳ Agora estabilizou em cerca de US$ 387 bilhões, de acordo com a Bain & Company, à medida que a demanda da China enfraqueceu.

**O QUE MAIS VOCÊ PRECISA SABER**

BANCO CENTRAL

Meta contínua e arcabouço fiscal criam ‘novo horizonte macroeconômico’, diz Haddad. . Ministro da Fazenda confirmou ratificação do alvo a ser perseguido pelo BC em 3%.

GOVERNO LULA

Lula entra na discussão da reforma tributária e defende não taxar frango. Expectativa de parlamentares é que carnes entrem na lista da Cesta Básica durante votação do projeto.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.