Advogado e policial são presos suspeitos de integrarem milícia de Zinho

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Um policial civil e um advogado foram presos nesta terça-feira (7) em uma operação do Ministério Público do Rio de Janeiro suspeitos de envolvimento com milícia liderada por Zinho.

O policial repassava ao advogados informações sigilosas e privilegiadas. Os dados eram extraídos da Polícia Civil e diziam sobre integrantes da milícia chefiada por Luiz Antônio da Silva Braga, conhecido como Zinho.

O Ministério denunciou o agente público e o advogado por manutenção da organização paramilitar ”Bonde do Zinho” e por violação de sigilo funcional. Os crimes ocorreram de setembro de 2020 a julho de 2022. Pelo menos 19 consultas a nomes de milicianos foram feitas nesse período.

O advogado foi preso em Jacarepaguá e o policial civil na Tijuca. Além dos mandados de prisão, três mandados de busca e apreensão foram feitos em endereços ligados aos denunciados, no Centro do Rio, Barros Filho e Jacarepaguá.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.