Adélia Prado vence o prêmio Camões, o mais importante da língua portuguesa

WALTER PORTO

SÃO PAULO

Poeta mineira de 88 anos ganhou na última semana o Machado de Assis, maior distinção da Academia Brasileira de Letras

(FOLHAPRESS) Em 26/06/2024 13h28

A poeta mineira Adélia Prado acaba de ser anunciada como a vencedora do prêmio Camões, o mais importante reconhecimento da literatura em língua portuguesa.

A poeta mineira Adélia Prado, vencedora do Camões, em fotografia de 2009 Mastrangelo Reino/Folhapress Mastrangelo Reino/Folhapress mulher idosa segura livro entre mãos cruzadas **** A distinção vem uma semana depois de ela ganhar o prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, que também seleciona autores pelo conjunto da obra.

A escritora de 88 anos anunciou recentemente sua volta à literatura depois de mais de uma década do que classificou como um “deserto criativo”, com uma nova coletânea, “Jardim das Oliveiras”, pela Record.

A escolha rompe uma tradição do Camões: o prêmio costuma alternar entre escritores brasileiros, portugueses e de países africanos lusófonos. Dessa vez, a escolha da mineira vem apenas dois anos depois da seleção de outro mineiro, o crítico literário Silviano Santiago.

Galeria Quem já venceu o prêmio Camões Distinção é considerada a mais importante da literatura em língua portuguesa https://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/1714158696149341-quem-ja-venceu-o-premio-camoes *** No ano passado, o ganhador foi o português João Barrento, um nome menos conhecido e mal editado no Brasil. Antes de Santiago, a vencedora havia sido a moçambicana Paulina Chiziane, primeira africana negra distinguida com o Camões –o esperado é que esse ano outro nome do continente fosse premiado.

Em vez disso, a selecionada foi uma das escritoras mais aclamadas do Brasil, marcada por uma poesia que mescla o teor religioso do catolicismo que marcou toda a sua vida e uma refrescante liberdade para falar de temas de sua intimidade.

Galeria Escritora Adélia Prado no Sesc Vila Mariana Escritora Adélia Prado no Sesc Vila Mariana https://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/nova/23937-escritora-adelia-prado-no-sesc-vila-mariana *** Desde sua estreia com o elogiado “Bagagem”, de 1976. a autora se lançou como nome incontornável da poesia brasileira. Venceu o prêmio Jabuti com sua obra seguinte, “O Coração Disparado”, publicada dois anos depois, e seguiu cativando leitores até a coletânea “Miserere”, de 2013. Desde então, sua obra ficou em silêncio.

“Fui resgatada pela própria poesia”, contou a escritora, no ano passado, à coluna Painel das Letras. “Encontrei, em gavetas, poemas escritos na tenra juventude e, para minha surpresa, eles estavam em sintonia com minha experiência atual e desencadearam a ideia desse livro.”

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.