2 de cada 10 moradores do RS foram afetados pelas chuvas no estado

PORTO ALEGRE, RS (FOLHAPRESS) – O número de pessoas afetadas pelas chuvas que atingiram o Rio Grande do Sul ultrapassou a marca de 2 milhões de pessoas na tarde deste sábado (11) –são 2.115.416, de acordo com o boletim mais recente da Defesa Civil do estado.

Isso significa que 19% dos 10,8 milhões de moradores do estado tiveram sua vida prejudicada de alguma forma pelas enchentes. Desse total, 81 mil estão desabrigados (tiveram que ir para abrigos públicos), enquanto 537 mil estão desalojados (tiveram que deixar suas casas, mas têm onde ficar).

Como a Folha mostrou, essa é a maior retirada em massa em todo o país em três décadas. O número de afetados é fornecido diretamente por cada município ao governo gaúcho.

Além disso, 446 dos 497 municípios do estado foram afetados pela tragédia. Foram registradas até o fim da tarde deste sábado 136 mortes e 125 desaparecimentos. As forças de resgate fizeram 74.153 salvamentos humanos, e 10.348 animais.

O ministro da Integração e Desenvolvimento Regional do governo Lula (PT), Waldez Góes Góes, alertou que esse número de pessoas atingidas deve aumentar considerando os riscos de enchentes que começaram a abalar a região sul do estado. Cidades como Pelotas e Rio Grande já tiveram ruas invadidas pela água, e estão sob alerta de crescimento do nível da Lagoa dos Patos.

Durante entrevista coletiva neste sábado, o ministro também disse que até agora 69 dos 441 municípios afetados pelas chuvas no Rio Grande do Sul fizeram a solicitação de verba emergencial para o governo federal dentro dos novos critérios de flexibilização.

Apesar da nova portaria que permite que municípios em situação de calamidade pública peçam dinheiro para ajuda humanitária enquanto ainda elaboram o plano de recuperação, o número de pedidos veio abaixo do esperado.

“Nós imaginávamos que 300 municípios ao mesmo tempo, ou os 441 solicitassem algum tipo de recurso do governo, e apenas 69 solicitaram”, disse Waldez em Porto Alegre.

O Ministério fará o repasse em três faixas. Municípios da faixa 1, de até 50 mil habitantes, podem receber R$ 200 mil. Na faixa 2, até 100 mil habitantes, o valor destinado é de R$ 300 mil. Na faixa 3, acima de 100 mil habitantes, são R$ 500 mil.

Segundo Wolnei Wolff Barreiros, secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, a expectativa era que a medida de flexibilização facilitaria que os prefeitos fizessem o pedido de ajuda imediatamente. “Não creio que, a essa altura do campeonato, esse recurso não seja importante”, disse. Por esse meio, já foram liberados pouco mais de R$ 16 milhões às administrações municipais.

Waldez também atualizou projetos aprovados de reconstrução nas últimas horas, como a ponte que conecta Lajeado a Arroio do Meio, destruída pela enxurrada do rio Taquari. O projeto, de 110 metros de comprimento, garantiu um repasse de R$ 6,9 milhões. No município de Campos Borges, um outro projeto de R$ 1,9 milhão para a ponte também teve sinal verde do ministério.

Ao todo, R$ 110 milhões em recursos já foram encaminhados para prefeituras gaúchas.

Para Porto Alegre, segundo o ministro Paulo Pimenta (Comunicação Social), foi aprovado um plano de ajuda humanitária de R$ 10,5 milhões. Ele também participou da entrevista deste sábado.

Em meio a temores de segurança pública, Pimenta anunciou que a Força Nacional ampliará a atuação de segurança em abrigos com 417 integrantes. Ao todo, 1.500 agentes federais estão no estado, incluindo também Polícia Federal e PRF (Polícia Rodoviária Federal).

Já a ministra Sonia Guajajara (Povos Originários) afirmou que 110 das 214 comunidades indígenas no estado foram afetadas pelas chuvas, representando 30 mil pessoas.

A ministra disse que está em diálogo com o Ministério do Meio Ambiente para uma atuação conjunta na elaboração do Plano Nacional de Desastres Naturais, e que articulou com o ministro Wellington Dias (Desenvolvimento Social) para garantir a entrega de 9.000 cestas básicas com regularidade quinzenal a essas comunidades.

Mais novidades devem vir ao longo da próxima semana. Nesta segunda (13), o ministro da Fazenda Fernando Haddad (PT) se reunirá virtualmente com o governador Eduardo Leite (PSDB) para discutir a renegociação da dívida do Rio Grande do Sul.

Na terça (14), o presidente Lula fará o anúncio de novos projetos para o Rio Grande do Sul, dentre eles um programa ainda não especificado para pessoas físicas.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.