O Corredor Criativo Nestor Gomes agora é Lei - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Variedades
O Corredor Criativo Nestor Gomes agora é Lei
Iniciativa da Lei é do vereador Vinicius Simões (PPS)
Publicado por Redação VitóriaNews
Foto: Câmara de Vereadores de Vitória

Com o objetivo de reconhecer e contribuir para a economia criativa no município de Vitória, virou lei (nº 8.963) a criação do Corredor Criativo Nestor Gomes no Centro da Capital. O corredor compreenderá a Escadaria Maria Ortiz, a Rua Nestor Gomes até o cruzamento da Av. Florentino Avidos, abrangendo o entorno da escola Maria Ortiz, a Praça João Clímaco e o Beco Duque de Caxias. A iniciativa da Lei é do vereador Vinicius Simões (PPS).

O vereador afirmou que a área criativa será devidamente identificada com uma placa oficial e reconhecida como uma área diferenciada para a valorização e o estímulo cultural. Além disso, os empreendimentos, que envolvem cerca de 100 profissionais, poderão realizar modificações de uso interno, intervenções junto às fachadas de edificações, faixas de pedestres, as quais dependerão, somente, da aprovação prévia da Prefeitura de Vitória.

“As atividades que serão desenvolvidas nesse território contribuirão para fortalecer a cultura, o turismo e a economia do município, bem como a revitalização do Centro Histórico de Vitória”, enfatizou Simões.

O Corredor Criativo Nestor Gomes é formado por 12 empreendimentos, como o Instituto Goia, Instituto Quorum, Companhia de Teatro Folgazões, Ser Vivo, dentre outros. Esses empreendimentos formam um Arranjo Produtivo Local (APL), que já é reconhecido pelo governo federal.

“A proposta nasceu das ideias apresentadas pelos representantes de vários coletivos culturais que funcionam no Centro. E o que eles querem é identificar aquelas ruas como sendo parte de um espaço diferente dentro da Cidade. Um espaço que respira e vive a cultura”, explicou Simões.

 

Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.