PGR denuncia deputado por pagar doméstica com dinheiro da Câmara - Vitória News
Política
PGR denuncia deputado por pagar doméstica com dinheiro da Câmara
Folhapress
JOÃO PEDRO PITOMBO

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - O deputado federal João Carlos Bacelar (PR-BA) foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República por crime de peculato por usar recursos de seu gabinete na Câmara dos Deputados em proveito pessoal.

Segundo a procuradora-geral, Raquel Dodge, Bacelar empregou em seu gabinete como secretárias parlamentares Maria do Carmo Nascimento e Norma Suely Ventura, que desenvolviam atividades particulares para o deputado.

Maria do Carmo Nascimento era empregada doméstica na casa dos pais do deputado João Carlos Bacelar entre 2002 e 2011. Ela foi demitida após reportagem da revista "Veja" revelar o uso da servidora para trabalhos pessoais.

Em depoimento, Maria do Carmo confirmou que nunca exerceu a função de secretária parlamentar do deputado, tendo sempre atuado como empregada doméstica.

Já Norma Suely Ventura, segundo a Procuradoria, era funcionária da Embratec Terraplanagem, empresa do deputado do ramo da construção civil.

A Procuradoria ainda informa que Norma foi sócia desta e de outras empresas do deputado, sendo utilizada como "possível laranja" do parlamentar.

Raquel Dodge solicitou ao STF (Supremo Tribunal Federal) a condenação do deputado por peculato e a perda de função pública.

A denúncia contra João Carlos Bacelar foi encaminhada no mesmo dia em que Folha de S.Paulo revelou que outro debutado baiano, o peemedebista Lúcio Vieira Lima, tinha três secretários parlamentares que davam expediente no apartamento da mãe dele.

OUTRO LADO

Procurado, o deputado João Carlos Bacelar classificou a denúncia como "absurda" e disse que irá se defender nos autos. Ainda afirmou que a funcionária Norma Suely Ventura trabalha no seu escritório de representação do mandato em Salvador e não em sua empresa.

O deputado foi questionado sobre qual seria o endereço do escritório na capital baiana, mas não quis responder.

A reportagem pediu o telefone do escritório de representação do deputado na Bahia ao PR, partido ao qual ele é filiado. O telefone dado foi o da Embratec Terraplanagem.

No escritório, quem atendeu a ligação foi a própria Norma, que afirmou ali ser o escritório de representação do deputado em Salvador. Uma hora depois, um outro funcionário afirmou que ali funcionava a sede da Embratec e não trabalhava nenhuma pessoa com o nome Norma no local.

Funcionários da portaria do edifício afirmam que o escritório do parlamentar fica na sala 707, logo acima do escritório da Embratec, que fica na sala 607.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.