Geral

Americanas usam hashtag para criticar assédio passado de senador a adolescentes

Por Folhapress
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Quando Leigh Corfman detalhou ao "Washington Post" seus encontros com o hoje senador republicano Roy Moore, dizendo que ele a beijava, tirava suas roupas e a tocava sobre sua roupa íntima quando ela tinha 14 anos e ele, 32, muitas mulheres encontraram nas redes sociais um meio de protesto.

A reportagem citava ainda encontros de Moore com outras três adolescentes quando ele era um advogado na faixa dos 30.

Moore primeiro disse que não se lembrava dos episódios. Depois, que eram denúncias "completamente falsas" sobre coisas que "ocorreram há mais de 40 anos".

Nesta segunda-feira, o líder republicano no Senado, Mitch McConnel, afirmou que "acredita nas mulheres" e que Moore deveria abandonar sua campanha eleitoral pelo seu Estado, o Alabama. Uma quinta mulher o denunciou nesta segunda.

O movimento começou com Catherine Lawson, advogada do Alabama, que usou a hashtag #MeAt14 (#EuAos14), uma foto sua nessa idade, e os dizeres: "Não pode consentir aos 14. Não no Alabama. Não em lugar nenhum."

Uma das criadoras do talk show cômico "The Daily Show", Lizz Winstead, também tuitou a hashtag: "Essa sou eu aos 14. Eu estava na equipe de ginástica e cantava no coral. Eu não estava saindo com um homem de 32 anos. Quem era você aos 14? Publique uma foto, diga quem você era."

A atriz Alyssa Milano, que começou o movimento #MeToo após as denúncias contra o produtor de Hollywood Harvey Weinstein, entrou na jogada: "Eu adorava meu irmão. Amava meu cachorro, Pucci. Tinha o cabelo grande. Eu era feliz. Eu era inocente".

A jornalista Katie Couric também aderiu: "Eu estava comendo um monte de biscoito de chocolate e aprendendo a fazer o 'hustle' [dança] e não me preocupando com um cara de 32 anos tentando me agarrar".

Lawson explicou por que começou o movimento. "Compartilhei uma foto minha aos 14 para ilustrar que não há versão aceitável da história [de Moore]", disse. "Adolescentes não podem consentir num relacionamento com um homem adulto."